segunda-feira, 1 de outubro de 2018

A oposição de Urano em 24 de outubro 2018

Antônio Rosa Campos
arcampos_0911@yahoo.com.br
CEAMIG – REA/Brasil – AWB

- Aquela não está no mapa! Creio que assim tenha ocorrido a varredura do céu na noite de 13 de março de 1781, na constelação de Touro e a gêmeos (Herschel conhece bem aquela área do céu). Não parece uma estrela (magnitude de 5.6), porque em mais uma observação através da ocular. Ele vê um disco ligeiramente alongado (ângulo de fase de 3.0°) (CAMPOS, 2011).

Assim, Sir William Herschel anunciou sua descoberta, expandindo as fronteiras do Sistema Solar pela primeira vez na história moderna. Tornando o planeta Urano o primeiro descoberto com um telescópio e atraindo a inveja dos que espalhavam que ele, havia descoberto Urano a conta do acaso. Não dando bola aos incrédulos, Herschel descobre 6 anos mais tarde, utilizando um telescópio ainda melhor 2 de seus satélites naturais: Titânia e Oberon.

Atualmente Urano nesta época estará com sua magnitude visual estimada em 5.7 conforme e apresentado nas suas efemérides na tabela 1 abaixo, podendo ser localizado na constelação de Aries muito próximo a um conjunto de estrelas brilhantes conforme podemos apreciar na carta celeste ilustrativa (figura. 1) daquela região celeste.




O Planeta

Urano certamente chamará a atenção dos observadores uma vez que seus satélites naturais (figura 2) estarão também dentro do limite de equipamentos óticos de médio porte também; troando-se assim um excelente desafio observacional suas respectivas identificações.


Nesta oportunidade Urano estará a uma distância da Terra de 18.8752332 u.a (2.823.694.692 Km), distância essa considerável, até mesmo porque sua distância luz estará estimada em cerca de 2h 36m 58.8s. Você pode utilizar as efemérides que se encontram publicada no Almanaque Astronômico Brasileiro de 2018 (figura 3 – ilustrativa), fazendo gratuitamente o download no seguinte link: https://goo.gl/kniuMW


Importância

As oposições planetárias são uma fantástica oportunidade para que todos os observadores busquem detalhes observacionais, uma vez que poderão ser registradas mudanças interessantes no planeta. Neste caso e por tratar-se de um planeta tão longínquo apresentando seu diâmetro equatorial de apenas 3.71 segundos de arco, uma situação também interessante para os proprietários de pequenos instrumentos será buscar a identificação de seu disco planetário em meio as estrelas da constelação de Aries. Desta forma desejo a todos uma boa jornada observacional.

Notas:
1 = (ua)* Conforme a Resolução da IAU 2012 B2, acolhendo proposta do grupo de trabalho “Numerical Standards for Fundamental Astronomy”, redefiniu-se a unidade astronômica de comprimento correspondendo à distância media da Terra ao Sol equivalendo assim a 149.597.870.700 metros, devendo ser representada unicamente por au (“astronomical unit”) OAM (2015).

Boas Observações!

Referências:

MOURÃO, Ronaldo Rogério de Freitas. Dicionário Enciclopédico de Astronomia e Astronáutica. Rio e Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1987,  914P.

- CAMPOS, Antônio Rosa. Almanaque Astronômico Brasileiro 2018. Belo Horizonte: Ed. CEAMIG (Centro de Estudos Astronômicos de Minas Gerais), 2017. 136p. Disponível em: < https://goo.gl/kniuMW> Acesso em 02 Dez 2017.

- __________, A oposição de Urano em 2011. Sky and Observers: <https://goo.gl/R8LTQT> Acesso: 21  Fev 2018.

- CHEVALLEY, Patrick. SkyChart / Cartes du Ciel - Version 3.8, March. 2013. Disponível em:   <http://ap-i.net/skychart/start?id=en/start>. - Acesso em: 26 Nov. 2015.

- OAM (IAG-USP) - http://www.observatorio.iag.usp.br/index.php/mencurio/curiodefin.html - Acesso em 18 Ago. 2015.

A ocultação de TYC 6840-00814-1 por (29) Amphitrite em 04 de outubro 2018

Antônio Rosa Campos
arcampos_0911@yahoo.com.br
CEAMIG – REA/Brasil – AWB

Em 04 de outubro próximo, o asteroide (29) Amphitrite, ocultará a estrela TYC 6840-00814-1 de magnitude 11.2 na constelação de Sagittarius, proporcionando uma rara oportunidade da realização do registro deste tipo de fenômeno aos observadores localizados em sua região de abrangência (Figura 1) apresentada abaixo (PRESTON, 2017).


Regiões de Abrangência

Numa rápida análise da figura acima, podemos observar que o evento (ainda na fase noturna do dia), terá uma excelente visibilidade na América do Sul, sendo que o início da fase crepuscular vespertina iniciar-se-á no território brasileiro; este fato deixa as demais regiões numa posição desfavorável, exceto pequena porção ocidental do continente africano junto a costa da Guiné; entretanto a altura do evento junto a linha do horizonte poderá fazer com que esse evento não seja observável a partir daquele continente.

A figura 2 (Google, 2017) indica que o início da projeção da sombra ainda no período diurno, recairá sobre o oceano pacifico junto à costa sul do Peru, cortando também o norte da Bolívia; no Brasil atravessando vasta região das regiões norte, centro oeste e nordeste da América do Sul, fazendo dessa região muito favorável para as observações deste fenômeno.
  

  
Uma vez na superfície deste continente mencionamos as seguintes localidades no Brasil com possibilidade ideal de registro: (Ceará) Comocim, Croatá, Forquilha, Fortaleza, Granja, Irauçuba, Itapagé, Itarema, Morrinhos, Mucambo, Poço da Pedra, Reriutaba, Santa Quitéria, Sobral, São Benedito, São João do Amanari, São Luís do Curu, Tianguá e Viçosa do Ceará; (Maranhão) Amarante do Maranhão, Bacabal, Barra do Corda, Buriti, Buriti Bravo, Cabeça, Carolina, Chapadinha, Codó, Colinas, Dom Pedro, Estreito, Imperatriz, Presidente Dutra, Trizidela do Vale e Vargem Grande; (Piauí) Barras, Cajueiro da Praia, Campo Maior, Parnaíba, Pedro II, Piripiri, Piçarra, Redenção do Gurguéia e Teresina; (Tocantíns) Angico, Nazaré, Santa Terezinha do Tocantíns e Tocantinópolis.

No Peru e na Bolívia, a ocultação ocorrerá a luz diurna (durante o dia) em ambas regiões.


(29) Amphitrite e TYC 6840-00814-1

No caso desta ocultação, a luz combinada do asteroide e da estrela cairá em 0.68 magnitude, chegando a 11.1 igualando a de (29) Amphitrite num período de tempo estimado em 9.4 segundos; em sua ultima oposição ocorrida em 15 de junho passado, este asteroide encontrava-se com uma magnitude visual estimada em 9.4 na constelação de Scorpius.

Em 1981 Edward F. Tedesco e Robert E. Sather do Lunar and Planetary Laboratory da University of Arizona, publicaram dados fotométricos de UBV e análises das curvas de luz observadas entre março de 1956 e maio de 1977, com a finalidade de obtenção de fase de um coeficiente linear de 0,030 = / - 0.002. Segundo a publicação Amphitrite é um objeto interessante para estudos posteriores, pois é o melhor exemplo conhecido de um grande asteroide com uma superfície muito áspera e/ou variada.

Em 1985 esse asteroide foi previamente selecionado para um sobrevoo, aproveitando a oportunidade do lançamento da sonda Galileo, entretanto essa missão não se realizou (BEGGS, 2014).

Muito pouco se sabe sobre TYC 6840-00814-1 que embora se encontre na constelação de Sagittarius, poderá ser facilmente localizada se utilizarmos como referência para sua identificação 3 Sgr, uma estrela variável de classe e tipo espectral F7II, cujo máximo e mínimo são estimados em 4.24 e 4.8 magnitudes num período de 7.012770 (AAVSO, 2018), conforme carta de busca apresentado na figura 3.


Suas coordenadas equatoriais (ascensão reta e declinação astrométricas da Missão Gaia (http://www.cosmos.esa.int/gaia)  são: AR: 17 45 59.1718  Decl: -28 54 28.863 respectivamente.

Segundo o observador brasileiro Antonio Padilla Filho (REA/Brasil), o registro das ocultações por observadores não-profissionais não tem muitos adeptos no nosso país. O campo é fértil para a produção de dados precisos se forem utilizados equipamentos adequados, que hoje estão ao alcance de qualquer pessoa que tenha interesse e o mínimo de recursos (PADILLA FILHO, 2016).

Sites recomendados:

"Como observar"
"formulário de reporte"
(ocultações de estrelas por asteroides).

No Facebook:

“Ocultações Astronômicas”.

Este grupo destina-se à divulgação e discussão de eventos astronômicos na área de 'Ocultações'. Ocultações de estrelas e planetas pela Lua, ocultações de estrelas por asteroides e as técnicas empregadas para o registro destes eventos.

Boas Observações!

Referências:

MOURÃO, Ronaldo Rogério de Freitas. Dicionário Enciclopédico de Astronomia e Astronáutica. Rio e Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1987,  914P.

- CAMPOS, Antônio Rosa. Almanaque Astronômico Brasileiro 2018. Belo Horizonte: Ed. CEAMIG (Centro de Estudos Astronômicos de Minas Gerais), 2017. 136p. Disponível em: < https://goo.gl/kniuMW> Acesso em 02 Dez 2017.

- PADILLA FILHO, Antonio. Sky and Observers, A ocultação de TYC 5667-00417-1 por 236 Honoria. Disponível em: http://goo.gl/l7n3Z8, Acesso em: 22 maio 2017.

- HERALD, Dave. Occult4 v4.1.0.27 (24 March. 2014) Uptade v4.2.0 available in: <http://www.lunar-occultations.com/occult4/occultupdate.zip> Acess in 21 Abr. 2017.

- PRESTON, Steve. (Steve's Asteroid Occultation Index Page) Availabe in: < http://www.asteroidoccultation.com/2018_10/1004_29_56720_Summary.txt> - Acess in: 16 may 2017.

- FERNIQUE, Pierre. Centre de Données astronomiques de Strasbourg [CDS]: Aladin Sky Atlas - Available in: <http://cdsportal.u-strasbg.fr/?target=TYC 6840-00814-1> - Acess in 28 June 2017.

- AAVSO Home (VSX) Index. 27707, Available in: < http://www.aavso.org/vsx/index.php?view=detail.top&oid=27707> - Acess in: 19 Mar 2018.

- SCHMADEL, Lutz D. Astronomical Notes. Disponível em: <http://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1002/asna.2113070604/abstract> - Acesso em 04 mai. 2014.

- BEGGS, James M. JPL/NASA, Press Release #1062. Disponível em: <http://www.jpl.nasa.gov/releases/80s/release_1985_1062.html> - Acesso em 04 mai. 2014.

- Google Maps/Google Earth; Path <Occultation of TYC 6840-00814-1 by (29) Amphitrite on 2018 Oct 04> Feature: <20181004_56720.kmz> Acess in: 19 Mar. 2018.

A ocultação de 37 Sagittarii pela Lua em 15 de outubro 2018

Antônio Rosa Campos
arcampos_0911@yahoo.com.br
CEAMIG – REA/Brasil – AWB

Em 15 de outubro próximo a Lua +42% iluminada e uma elongação solar de 81°, ocultará a estrela 37 Sagittarii de magnitude 3.5 e tipo espectral G8/K0II/III (Figura 1). Proporcionando um belo espetáculo aos observadores munidos com pequenos instrumentos óticos como: binóculos, lunetas e telescópios; esse evento poderá ser observado em grande parte da América do Sul. 


Desta forma, os observadores localizados na Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Paraguai, Peru e Uruguai, poderão acompanhar os eventos de Desaparecimento e Reaparecimento desta estrela, conforme apresentado na tabela 1.



Circunstâncias Gerais de visibilidade no Brasil

Não podemos deixar de mencionar ainda que além das localidades mencionadas na tabela 1, este evento também será visível em outras localidades do Brasil. Assim sendo, encontra-se disponível (figura 2 - Ilustrativa) para download no link: https://drive.google.com/file/d/1hEnmjvM8qCutl0U_4E1DaNMF9o9f0Xel/view?usp=sharing as condições de desaparecimento e reaparecimento para 1077 municípios do Brasil localizados na região de abrangência deste evento.



Além das circunstâncias de gerais de visibilidade e também de desaparecimento e reaparecimento acima mencionadas, abaixo apresentamos o mapa global (figura 3) com a faixa de visibilidade do fenômeno a qual abrange ilhas e reservas naturais localizadas no Atlântico Sul e oceano Pacífico.


37 (Xi 2) Sagittarii

A designação de Bayer para Xi2 Sgr (figura 4) e ainda 37 Sgr para o número de Flamsteed são suas referências usuais; entretanto HR 7150, BD-21 5201, HD 175775, SAO 187504, FK5 710 e ZC 2759 (CDS, 2018) são outras designações também para essa estrela.



Sites recomendados:

"Como observar"
"formulário de reporte"
(ocultações de estrelas por asteroides).

No Facebook:

“Ocultações Astronômicas”.

Este grupo destina-se à divulgação e discussão de eventos astronômicos na área de 'Ocultações'. Ocultações de estrelas e planetas pela Lua, ocultações de estrelas por asteroides e as técnicas empregadas para o registro destes eventos.

Boas Observações!

Referências:

MOURÃO, Ronaldo Rogério de Freitas. Dicionário Enciclopédico de Astronomia e Astronáutica. Rio e Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1987, 914P.

- CAMPOS, Antônio Rosa. Almanaque Astronômico Brasileiro 2018. Belo Horizonte: Ed. CEAMIG (Centro de Estudos Astronômicos de Minas Gerais), 2017. 136p. Disponível em: < https://goo.gl/kniuMW> Acesso em 02 Dez.

- HERALD, Dave. Occult4 v4.1.0.27 (24 March. 2014) Uptade v4.2.0 available in: <http://www.lunar-occultations.com/occult4/occultupdate.zip> Acesso em: 28 Abr. 2016.

- FERNIQUE, Pierre. Centre de Données astronomiques de Strasbourg [CDS]: Availabele in: <http://simbad.u-strasbg.fr/simbad/sim-id?Ident=SAO+187504&submit=submit+id> - Acess in: 24 Jan. 2018.

A ocultação de Hyadum II (delta 1 Tau) pela Lua em 27 de outubro 2018

Antônio Rosa Campos
arcampos_0911@yahoo.com.br
CEAMIG – REA/Brasil – AWB


Em 27 de outubro próximo a Lua -92% iluminada e uma elongação solar de 147°, ocultará a estrela Delta1 Tau (Hyadum II) de magnitude 3.7 e tipo espectral K0III (Figura 1). Proporcionando um belo espetáculo aos observadores munidos com pequenos instrumentos óticos como: binóculos, lunetas e telescópios; esse evento poderá ser observado na América Central, sul da América do Norte e parte da América do Sul.


Desta forma, os observadores localizados na Aruba, Barbados, Belize, Costa Rica, Cuba, Ilhas Cayman, Rep. Dominicana, El Salvador, Guadalupe, Guatemala, Honduras, Jamaica, Nicarágua, Panamá, Porto Rico, São Cristóvão e Nevis e Trinidad e Tobago poderão acompanhar os eventos de Desaparecimento e Reaparecimento desta estrela, conforme apresentado na tabela 1.



Os observadores localizados Bermudas, Estados Unidos e México na região sul da América do norte poderão acompanhar os eventos de Desaparecimento e Reaparecimento desta estrela, conforme apresentado na tabela 2.


Já os observadores localizados no Brasil, Colômbia, Equador, Suriname e Venezuela bem como toda a região norte da América do Sul poderão acompanhar os eventos de Desaparecimento e Reaparecimento desta estrela, conforme apresentado na tabela 3.



Circunstâncias Gerais de visibilidade no Brasil

Não podemos deixar de mencionar ainda que além das localidades mencionadas na tabela 1, este evento também será visível em outras localidades do Brasil. Assim sendo, encontra-se disponível (figura 2 - Ilustrativa) para download no link: https://drive.google.com/file/d/1fdnmnvLwjfYl8OPqCi6cGHAa0o-JzJLC/view?usp=sharing  as condições de desaparecimento e reaparecimento para 30 municípios do Brasil localizados na região de abrangência deste evento.



E importante ainda mencionar que além das circunstâncias gerais de visibilidade apresentadas acima, será possível também que a observação da fase de reaparecimento de Hyadum II, seja realizada a partir da Polinésia Francesa, localizada no sul do Oceano Pacífico. Assim sendo, na tabela 4 apresentamos a circunstâncias para a localidade de Papeete.


Abaixo apresentamos o mapa global (figura 3) com a faixa de visibilidade do fenômeno a qual abrange ilhas e demais reservas naturais localizadas nos oceanos Atlântico e Pacífico.



Delta-1 Tauri

Hyadum II é uma estrela amarelo alaranjada que pertence ao aglomerado aberto Melotte 25 (Mel 25) mais conhecido como Hyades. Isto faz com que ela tenha uma distância ao Sol estimada em apenas 155 anos-luz. Conforme podemos ainda observar na figura 4 abaixo, ela e uma estrela suspeita de variabilidade (NSV 1582) (AAVSO, 2018) fazendo parte de um sistema múltiplo de estrelas (WDS, 2018).



Sites recomendados:

"Como observar"
"formulário de reporte"
(ocultações de estrelas por asteroides).

No Facebook:

“Ocultações Astronômicas”.

Este grupo destina-se à divulgação e discussão de eventos astronômicos na área de 'Ocultações'. Ocultações de estrelas e planetas pela Lua, ocultações de estrelas por asteroides e as técnicas empregadas para o registro destes eventos.

Boas Observações!

Referências:

MOURÃO, Ronaldo Rogério de Freitas. Dicionário Enciclopédico de Astronomia e Astronáutica. Rio e Janeiro: Ed. Nova Fronteira, 1987, 914P.

- CAMPOS, Antônio Rosa. Almanaque Astronômico Brasileiro 2018. Belo Horizonte: Ed. CEAMIG (Centro de Estudos Astronômicos de Minas Gerais), 2017. 136p. Disponível em: < https://goo.gl/kniuMW> Acesso em 02 Dez.

- HERALD, Dave. Occult4 v4.1.0.27 (24 March. 2014) Uptade v4.2.0 available in: <http://www.lunar-occultations.com/occult4/occultupdate.zip> Acesso em: 28 Abr. 2016.

- FERNIQUE, Pierre. Centre de Données astronomiques de Strasbourg [CDS]: Available in: <http://simbad.u-strasbg.fr/simbad/sim-id?Ident=SAO+187504&submit=submit+id> - Acess in: 24 Jan. 2018.

- AAVSO Home (VSX) Index 40206. Available in: <http://www.aavso.org/vsx/index.php?view=detail.top&oid=40206> - Acess in: 14 March 2018.

- WDS Washington Double Star Catalog: Epoch 2014.01. Disponível em: <http://www.handprint.com/ASTRO/>. Acesso em: 10 set. 2014.

- Stelle Doppier - (Double Star Database). Available in: < http://www.stelledoppie.it/index2.php?iddoppia=15147> Acesso em: 14 March. 2018.

A ocultação de Deneb Algedi (Delta Capricornii) pela Lua em 28 de abril 2019.

Antônio Rosa Campos Em 28 de abril próximo a Lua -36% iluminada e uma elongação solar de 74°, ocultará a estrela Delta Capricorni (Dene...