sexta-feira, 1 de julho de 2011

O Céu do mês - Julho 2011

Antônio Rosa Campos
arcampos_0911@yahoo.com.br
CEAMIG – REA/Brasil - AWB

Este mês, reservamos um dos principais acontecimentos para um artigo neste blog em separado (veja: A Ocultação diurna de Marte em 2011), entretanto os observadores do céu poderão voltar suas atenções para diversos fenômenos que aparecem listados na Tabela 1.



Planetas e Planeta Anão!

Mercúrio = O planeta permanece na constelação de câncer até 13/07, quando então estará em Leão; suas magnitudes então estarão em 0.4 (em 01/07), 0.3 (em 15/07) e 1.2 (em 31/07). Sua maior elongação (27° E), ocorrerá no dia 20 deste mês, quando então sua magnitude estará em 0.3 e seu afélio ocorrerá em 26/07, sendo sua distância ao Sol em 0.47 (UA)..

Vênus = Em conjunção com o Sol, estará na constelação de Taurus até 03/07 e Gemini de 04 a 25/07, quando então chegará na constelação de Câncer. Sua magnitude é -3.9

Marte = O planeta Marte que teve seu periélio em março deste ano, estará com sua magnitude em 1.4, permanecendo na constelação de Taurus.

Júpiter = Continua ainda neste mês com seu nascimento e ocaso no período diurno, com magnitudes ente -2.3 e -2.5, na constelação de Áries.

Saturno = Continua com seu ocaso ocorrendo cada vez mais cedo, mas ainda vem sendo um belo espetáculo sua observação com pequenos instrumentos; na constelação de virgem sua magnitude pouco varia (entre 1.0 e 1.1) uma boa oportunidade para a identificação de seu séquito de satélites. Na figura abaixo podemos identificar com pequenos instrumentos alguns de seus principais satélites.

Urano = Esse massivo planeta encontra-se ainda na constelação de Peixes, seu disco azul esverdeado quase deitado em relação ao seu eixo bastante inclinado. Sua magnitude agora já fica fora do limite de nossa visão desarmada, mag. 5.8)

Netuno e Plutão = Netuno na constelação de Aquário terá sua magnitude entre 7.9 (em 01/07) e 7.8 (em 31/07); Já Plutão (mag: 14.0) permanece na constelação de Sagitário.

Constelações e Objetos Deep-Sky = E praticamente impossível ignorar a presença da constelação de Sagitário. Destaca-se nesta constelação, uma infinidade de objetos de céu profundo.

Boas Observações!



Campaña de la Seccion Meteoros de la LIADA

JULIO 2011

Durante mediados y finales de julio hay una interesante actividad de radiantes genéricamente llamadas Acuáridas que presentan varias fuentes de radiación. Desde mediados de julio tenemos uno de los radiantes más activos que es el de las Delta Acuáridas Sur. En torno al 28 de Julio presentará su máxima actividad en la que mostrará una Tasa Horaria de aproximadamente 20 meteoros, es a no dudarlo un radiante muy activo e interesante. Debería ponerse más énfasis en la observación antes de la medianoche ya que Acuario se encuentra a esa hora en una posición magnífica en el cielo. Con sus 41 km/s de velocidad geocéntrica, los meteoros de esta lluvia, presentan una velocidad angular moderada-rápida, dependiendo de la distancia al radiante y la altura en el horizonte en que las contemplemos.

Otra lluvia meteórica que requiere nuestro estudio son las Alfa Capricórnidas. Este enjambre suele ser fuente de impresionantes bólidos de colores azulados o verdosos con preciosas estelas persistentes, denotando su origen cometario. Su cuerpo progenitor es el interesante cometa periódico 45P/Honda-Mrkos-Pajdusakova que sufrió once pasos próximos a la Tierra y otros dos a Júpiter durante el pasado siglo, estando por tanto sometidos a importantes perturbaciones planetarias. Suelen presentar su máximo en torno al 30 de Julio aunque su actividad puede llegar a extenderse hasta mediados de agosto. Esta lluvia que puede ofrecernos excelentes meteoros brillantes con velocidades angulares lentas-moderadas de 23 km/s

Otro radiante de interés son las Piscis Austrínidas con una THZ de unos 5 meteoros, suelen presentar meteoros brillantes en su fecha de máximo que es el 28 de Julio. Presentan velocidades angulares moderadas dada su velocidad geocéntrica intermedia de 35 km/s. Su radiante se encuentra cerca de la brillante estrella Fomalhaut.

Dada la relativa proximidad entre todos estos radiantes, la identificación de las zonas de radiación puede convertirse en todo un reto para los observadores noveles. Recomendamos que se dibujen los meteoros en mapas estelares en los que se puedan dibujar los trazos con la mayor precisión posible y tener presente las fechas de actividad máxima para cada radiante. Para facilitar la identificación de las zonas de radiación recomendamos ver la Figura 1. Para imprimir cartas celestes a diferentes escalas en las que puedan trazar los meteoros y para obtener información sobre los radiantes activos y su desplazamiento aparente en el cielo pueden descargar el programa gratuito “Atlas Gnomónico” que figura en: http://www.liada.net/meteoros/software.htm

Para el mes de julio también tenemos algunas interesantes lluvias menores a comienzos de mes.

Las Pegásidas (Pegaso) del 7 al 13 de julio, siendo su máximo el 9 de julio con una THZ (Taza Horaria Zenital) de 3 siendo la zona a observar alfa 340 º y delta +15º.

Las Phoenícidas (Phoenix) del 10 al 16 de julio, siendo el máximo el 13 de julio, la zona de observación es en alfa 32º y delta -48º con una THZ de 3.

Esperamos reportes de sus observaciones y les deseamos Cielos Claros.

Pável Balderas Espinoza pavelba@hotmail.com Tarija-Bolivia

Coordinador General

Sección Meteoros

LIADA

Josep M. Trigo trigo@ieec.uab.es Barcelona-España

Co-coordinador

Sección Meteoros

LIADA

A ocultação diurna de Marte em 2011

Antônio Rosa Campos
arcampos_0911@yahoo.com.br
CEAMIG – REA/Brasil - AWB

Na tarde de quarta-feira de 27 de julho próximo, o planeta Marte proporcionará a alguns observadores mais atentos da América do Sul e região do Pacífico, uma fantástica ocultação. Assim sendo, os observadores estrategicamente localizados em países como: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Equador, Paraguai, Peru e Uruguai, e também nas Ilhas da Páscoa, Galápagos, San Ambrósio, San Félix e Robson Crusoé, poderão vislumbrar esse fenômeno na parte diurna do dia.
Melhor sorte terá observadores que estiverem localizados na Samoa Americana de Pago Pago e Ilhas da Polinésia Francesa, pois poderão acompanhar esse fenômeno já na luz do crepúsculo. (vide figura 1).



Para os observadores brasileiros, esse evento será visível nas seguintes localidades (vide figura 2):
Rio Grande do Sul:
Aceguá, Rivera, Artigas, Santa Maria, Santiago, Alegrete, Uruguaiana, Cruz alta, Ijuí, Santa Rosa, Santo Ângelo e localidades circunvizinhas.
Santa Catarina:
Itapiranga, São Miguel do Oeste, Campo Erê, Maravilha, São Bernardino, São José do Cedro, Guaraciaba, Princesa, Paraíso, Belmonte, Maravilha e localidades circunvizinhas.
Paraná:
Pato Branco, Francisco Beltrão, Enéias Marques, Ampére, Foz do Iguaçu, Cascavel, Marechal Cândido Rondon, Toledo, Umuarama, Cianorte, Altônia, Paranavaí, Nova Londrina, Loanda, Adhemar de Barros, Itaúna do Sul e localidades circunvizinhas.
São Paulo (Extremo ocidente):
Rosana, Teodoro Sampaio, Presidente Epitácio, Euclides da Cunha Paulista, Porto São Paulo Novo e localidades circunvizinhas.
Goiás (Extremo):
Somente na localidade de Tadeu.
Mato Grosso do Sul (Sul):
Incluindo a capital Campo Grande e também os municípios de Rondonópolis, Cáceres, Barra do Bugres, Tangará da Serra, Ponte e Lacerda, Nova Olímpia, Campos de Júlio, Comodoro, Nova Alvorada, Porto Roberto, Santa Isabel, Alasca e localidades circunvizinhas.
Mato Grosso:
Em todo o estado incluindo a capital Cuiabá, exceto nos municípios de Três Lagoas, Paranaíba, Cassilândia, Aparecida do Taboado e localidades circunvizinhas.
Rondônia:
Riberalta, Sarvuela, Cabixi, Santos Dumont, Rodrigues Alves, Guajará Mirim, Surpresa, Boa Hora, Mamoré, Costa Marques, Pimenteiras, Escondido e localidades circunvizinhas.
Acre:
Em todo o estado incluindo a capital Rio Branco.
Amazonas:
Somente numa estreita faixa cerca de 30 km ao sul do município de Ipixuna.


Embora essas ocultações astronômicas não sejam um dos objetivos favoritos de serem acompanhadas pela grande maioria dos observadores, é interessante deixar esse registro observacional como “um passo observado” mesmo que você esteja numa das localidades acima mencionadas e não consiga observar esse fenômeno.


Histórias da Astronomia - "A Pluraridade dos Mundos Habitados"


Nelson Alberto Soares Travnik
nelson-travnik-@hotmail.com
Observatório Astronômico de Piracicaba Elias Salum - SP

O tema é atual e contagia mentes voltadas à vida extraterrestre. O número de planetas orbitando outras estrelas não pára de crescer. Somente em quatro meses o telescópio espacial Kepler da NASA descobriu 1235 possíveis novos planetas dos quais 68 do tamanho da Terra que estão na zona habitável. Já é aceito que nos próximos 25 anos estaremos recebendo sinais de alguma civilização extraterrestre. O assunto contudo no século 19, era dos mais polêmicos e mesmo para a comunidade científica escrever sobre ele era um ato de coragem.


MÁRTIR DA CIÊNCIA

O primeiro a defender um universo infinito, sem limites, com sóis ao redor do qual giravam planetas que deveriam ser habitados por seres que acreditavam ser também o centro do universo, foi o filosofo italiano Giordano Bruno (1550-1600). Em 1591, escreveu entre outros, o livro “ De immenso “ no qual defendia o sistema heliocêntrico de Nicolau Copérnico (1473-1543). Como sabemos, essas idéias não agradou a Igreja e a Inquisição por falta de retratação acabou condenando-o à fogueira que aconteceu em Roma, no Campo di Fiori, no dia 9 de fevereiro de 1600.


HÁ 150 ANOS


O tema voltaria a ser alvo de acirradas discussões. Em 1861, com apenas 19 anos, o astrônomo francês Camille Flammarion (1842-1925) durante sua estada no Observatório de Paris empreendeu a difícil tarefa de abordar a questão da vida em outros planetas. Seu livro “A Pluralidade dos Mundos Habitados” foi publicado no ano seguinte pela editora Mallet-Bechelier. É fácil imaginar o impacto que o livro provocou na maioria das pessoas embevecidas com a idéia da Terra ser um planeta especial, centro da criação, único a abrigar vida. Contudo entre celebridades como Victor Hugo (1802-1885) o livro foi bem recebido. Em 1864 a primeira edição esgotou. Uma após uma as edições não paravam. Meu exemplar, de 1921, já era a 30ª edição!

A REAÇÃO

“Vós não sóis um astrônomo, sóis um poeta!” Com essas palavras em 1862, Urban Le Verrier (1811-1877), o imortal descobridor do planeta Netuno, então diretor do Observatório de Paris, demitiu o jovem Camille Flammarion pelo grave erro de haver escrito o livro sobre um tema inaceitável para ele. Le Verrier achava que tal era uma idéia medíocre e uma pura fantasia. Flammarion havia sido aceito em junho de 1858 como aluno astrônomo lotado no Departamento de Longitudes, encarregado dos cálculos das posições da Lua para o conhecimento do tempo. Contudo o sucesso do livro em todo o mundo fez com que Le Verrier, reconhecendo erro, convidasse Flammarion a reingressar no Observatório para se ocupar de observações micrométricas de estrelas duplas o que ele fez impecavelmente. Seu ‘Catálogo de Estrelas Duplas e Múltiplas’ publicado em 1878 foi durante muitos anos, o melhor do mundo.

EXOPLANETAS

Se estivesse vivo, o que diria Le Verrier e muitos outros nessa onda de descobertas de planetas orbitando outras estrelas? O que outrora parecia um privilégio do Sol, hoje já é aceito que a maioria das estrelas possuem planetas ao seu redor. Seria uma enorme presunção pensar ainda que somos a única civilização existente na imensidão cósmica.Os cientistas acreditam que pode haver civilizações lá fora e que já chegaram a um estágio de desenvolvimento suficiente para emitir ondas de rádio. Um novo radiotelescópio, o maior móvel do mundo no estado da Virginia, EEUU, está empenhado em ouvir atentamente 68 planetas selecionados pelo programa SETI ( sigla em inglês de busca por vida inteligente fora da Terra) dentre os 1235 até agora ma peados pelo telescópio espacial Kepler. O radiotelescópio “Robert C. Byrd Green Bank” é capaz de analisar 300 vezes mais freqüências de rádio do que o seu rival em Arecibo, Porto Rico, palco do filme ‘Contato’ de 1997 baseado no livro de Carl Sagan. O maior radiotelescópio imóvel do mundo ainda é o ‘RATAN-600 na Rússia com uma antena circular de 576 metros de diâmetro. A astronomia está reverenciando Giordano Bruno e Camille Flammarion, dois nomes, duas mentes que avançaram no tempo enfrentando altivamente dogmas, incredulidade e preconceitos. Estamos no limiar de constatações que irão mudar a estrutura filosófica milenar e contemporânea criada pelo homem. Quem viver verá!

O autor é astrônomo responsável pelos observatórios astronômicos de Americana e Piracicaba, SP e Membro Titular da Sociedade Astronômica da França.

O Eclipse Total do Sol em 02 de julho 2019.

Antônio Rosa Campos Em 02 de julho próximo ocorrerá o terceiro eclipse de 2019, sendo que nesta oportunidade o eclipse será total e vis...